Cruzeiro vence e se torna Hexacampeão da Super Liga Masculina de voleibol.

Em um jogo emocionante, Cruzeiro bate o Sesi e se consagra campeão pela sexta vez da Superliga masculina.

Sesi x Cruzeira na final eletrizante da superliga.

Na manhã do último domingo,6, o ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, tremeu! Foi palco do jogo decisivo e acirrado, que terminou 3 sets a 2 para o time da casa, com parciais de 25/16, 17/25, 23/25 e 22/20. Em jogo espetacular, os dois times deram uma aula de voleibol e mantiveram o alto nível até o último ponto da partida. O Sesi precisava da vitória para forçar o super set e ter chance de ser campeão, mas não conseguiu aproveitar os match points no quinto set e viu o Cruzeiro se sagrar hexa.

Em um jogo cheio de estrelas olímpicas, o time paulista entrou sem a ansiedade esperada e viu o time da casa ser embalado pela torcida que lotava o ginásio. Evandro, o maior pontuador da partida, Simon e Leal foram imprescindíveis para o time da casa manter a cabeça para segurar a pressão do Sesi e, com muita emoção no set final, fechar a partida e confirmar o título.

Foram 5 sets equilibrados entre os dois times. No primeiro set, Cruzeiro entrou mais rápido no jogo e logo tomou a frente do placar. As lindas bolas do Cubano Leal e o incrível levantamento com o pé foram os destaques do set que terminou em 25 a 16 para o time da casa.  Sesi voltou para o segundo set mais ligado e foi quem conseguiu avançar no marcador. Com Alan e Gustavão inspirados nas bolas e no bloqueio, o time paulista abriu uma diferença importante e fechou em 25 a 17.

Com 1 a 1 no placar, os times foram para o terceiro set tensos e a eficiência no saque caiu um pouco e por isso os times ficaram bem próximos no placar. Porém, o Cruzeiro com embalo da torcida conseguiu desestabilizar o Sesi e fechou o placar em 25 a 22. Quarto set, o time paulista precisava ganhar para se manter vivo no jogo. Jogando a vida, o time vermelho largou na frente e viu o Cruzeiro correr atrás e empatar em 16/16. Com um extremo equilíbrio, sem ninguém conseguir abrir dois pontos de vantagem, Sesi se colocou à frente, mantendo a chance de ouro viva.

O que já estava tenso e emocionante, intensificou nesse último set. Tie break, teoricamente set mais curto, Cruzeiro começou abrindo boa vantagem, porém viu o Sesi crescer na partida e buscar o empate. A partir daí, foi igualdade até o último ponto, o time azul viu o Sesi desperdiçar três matches points, logo em seguida o próprio time azul desperdiçou 2 matches points, mas em uma bola virada de Simon, venceu a partida.

Para o Gustavo Rancevas, estudante de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, “essa final foi o melhor jogo da superliga inteira, muito disputado e com o melhor nível técnico”.  Segundo ele, o titulo foi muito merecido pela campanha que o Cruzeiro fez ao longo do campeonato enquanto o Sesi foi muito irregular e só cresceu na competição na reta final.  Assim como Gustavo, Bruna Canotillo, estudante da Universidade Presbiteriana Mackenzie, tambem achou um jogo equilibrado e que mesmo pelo Sesi ser favorito devido a sua história, o Cruzeiro mereceu mais. “A raça deles em quadra encantou, todos que entraram e jogaram essa final demonstraram muita vontade. O isac saiu do banco de reservas e praticamente resolveu o jogo, passou, bloqueou, atacou, foi lindo de ver”.