Black Friday: o sonho de consumo americano

Os Estados Unidos, país de maior influência global, realiza um evento anual que alimenta suas necessidades de consumo cada vez mais. A redução dos preços, a compulsão da compra, a proximidade com as datas festivas. Juntos, é o cenário perfeito para um dia de exageros sem limites e de uma movimentação na economia do país. A famosa Black Friday.

A origem da Black Friday deu-se no século passado nos Estados Unidos. O verdadeiro motivo, portanto, foi um ato de desespero por parte dos lojistas devido a um acúmulo de prejuízos no ano de início. Era a necessidade de baixar preços para impedir o fechamento das pequenas lojas. Com o passar dos anos, então, a ideia se potencializou. Crescendo em número de lojas que aderiram a causa, em reduções cada vez maiores e moldando o perfil de uma sociedade que seria voltada para o consumo.

A última sexta-feira de novembro é o dia escolhido para realizar o evento. Porém, para muitos norte-americanos, a Black Friday começa um dia antes devido ao preparo. São horas dormidas em filas para conseguir o melhor lugar e garantir os melhores produtos. É um dia que não importa como, o importante é consumir.

Um consumo, portanto, questionável. Há muito do exagero e da ânsia em consumir instalados no subconsciente norte-americano. Enquanto alguns utilizam esse dia de oportunidades para adquirir produtos sonhados por um preço acessível. Outros consomem sem uma necessidade visível, só pela repetição e persistência dos anúncios de ofertas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2017, não foi diferente. Hoje, dia 24 de novembro, a última sexta feira do mês, foi dada a largada da Black Friday. As promoções foram do mais simples ao mais sofisticado. E são de todas as empresas norte-americanas, como por exemplo o Walmart, Best Buy, Amazon, Macy’s, entre muitas outras. Muitas tiveram grande destaque nas redes sociais, aumentando ainda mais a vontade de adquirir aquele produto. Nesse site, você pode encontrar as melhores ofertas da Black Friday nos Estados Unidos. Dá para ter uma ideia do quanto você iria economizar, se é realmente proveitoso efetuar a compra e qual é o melhor lugar para isso.

Porém, nesse ano, foi observado que muitos optaram por aproveitar o dia de consumo no conforto de suas casas. A demanda online de compras foi maior que o presencial. Tal fator, portanto, acaba sendo prejudicial para o sucesso efetivo desse dia. O foco é o consumo em lojas físicas, possibilitando a movimentação da economia de grandes centros de lojas, como os shoppings. E, além disso, aumenta-se a disponibilidade de emprego para a época, pois cada mão a mais é necessário para conter o fluxo de consumidores.

O evento, portanto, não é exclusivo da sociedade norte-americana e espalhou-se pelo mundo todo. A Black Friday começou no Brasil por volta de 2010 e no primeiro ano de evento já movimentou 3 milhões de reais. Para este ano, era estimado que as vendas chegassem a 2,2 bilhões de reais em todo o país. As ofertas foram cada vez mais atraentes e conquistaram o povo brasileiro.

Em 2017, muitas dessas ofertas foram motivo de “viralização” nas redes sociais. Dentre eles, a rede Starbucks, uma opção adorada pelos mackenzistas, anunciou que seus copos estariam com um desconto de 50%. Aqueles copos lindos que ficam nas prateleiras e sempre sonhamos em comprar pela metade do preço! Realmente, é algo que muitos irão querer ter em casa.

Mas, e se a fome bater durante as compras? Acontece, mas há uma maneira muito fácil de resolver. O Bob’s disponibilizou uma variedade de descontos para você não se preocupar com a fome durante esse dia tão cansativo. Dentre as ofertas, destacam-se O Sundae em Dobro. Isso mesmo, Sundae em dobro. Por apenas R$ 4,50 você vai se deliciar com dois sundaes da melhor rede de fast food para sorvetes! Quer mais ofertas? Entre aqui e aproveite enquanto há tempo. Chama seus amigos e corre pro Bob’s!

Propaganda do Bob’s para anunciar o Sundae em dobro
Propaganda do Starbucks para anunciar o desconto

Mesmo contraditória, a Black Friday pode ser resumida em geração de oportunidade. É claro que os exageros devem ser contidos e a compulsão deve ser pensada com cuidado. O sucesso norte-americano ainda é um fator de muito debate e crítica, mas quando visto de uma maneira econômica, é uma maneira de potencializar que a sociedade consuma. E, quanto maior o consumo, maior rotatividade no país, principalmente numa potência como os Estados Unidos.

Camila Oliveira

Paulistana de berço mas o coração é um pouco de cada lugar que passei. Sou uma mistura de momentos, experiências e tenho muita história para contar. “Life isn’t about waiting for the storm to pass. It’s about learning to dance in the rain”.