As frases e os sonhos de Emilly

“Uma frase só? Eu tenho muitas frases! Tenho até um livro só de citações que eu escrevi várias frases que eu gosto.  Vou falar duas frases porque sou rebelde. Tem a da Beyoncé que diz ela não gosta muito de apostar mas se tem algo em que ela aposta, é nela mesma. Eu levo para minha vida. Eu também não sou de apostar, mas se tem algo em que eu aposto é em mim mesma, se tem uma pessoa que pode mudar a minha vida, essa pessoa sou eu!”, diz Emilly Cristina ao ser questionada de sua frase favorita.

A estudante de jornalismo também cita outra frase de  Shonda Rhimes, roteirista de Grey’s Anatomy: ‘Minha caneta tem poder’. “Eu acho que tudo que nós nos planejarmos, colocamos no papel, a gente consegue fazer. Tudo é uma questão de planejamento.” Como o dia em que ela planejou visitar seu ídolo internacional em um hotel quando ele veio para o Brasil.

Ela considera essa a sua maior loucura e explica como foi: “eu sou muito certinha, eu nunca fui de fazer loucuras. Nunca tinha ido para São Paulo sozinha, nunca tinha nem andado de metrô. Vim sozinha de Diadema. Eu acordei, eram sete horas da manhã, fui para São Paulo, deixei uma carta para minha família falando onde eu estava, e que eles não precisavam se preocupar pois  eu tinha dinheiro para ir e voltar.E que eu sabia ir e voltar, o que era mentira! Aprendi na raça. Enfim, vi o Joe Jonas, chorei muito, apareci na TV nesse dia e voltei para casa umas dez da noite”.

Para a mackenzista esse dia foi uma aventura, porém quando é questionada da sua maior aventura no Mackenzie, não pensa duas vezes antes de responder: “As coisas que eu vivo lá são muito do cotidiano. Como correr para entregar uma pauta, e ir no fim do mundo para fazer sua matéria depois voltar, estudante de jornalismo sofre muito. É legal, mas dá um desespero. São nas coisas do cotidiano que a gente vai se aventurando”.

A jovem é apaixonada por jornalismo e explica o porquê de sua escolha: “Na realidade queria medicina, passei a minha vida inteira querendo medicina. Nem cogitava outra profissão. Mas aí eu vi que nasci para fazer jornalismo. Desde sempre fui muito comunicativa, sempre gostei de ouvir as histórias que as pessoas tinham para contar, o que elas querem mostrar para o mundo. Do mesmo jeito que eu sempre amei contar as minhas coisas. Sou muito falante e curiosa. Adoro pesquisar sobre as coisas. Se eu leio uma notícia, já quero saber quem são aquelas pessoas, porque aconteceu aquilo”.

O fator viagens também influenciou sua escolha. “Eu sempre quis viajar o mundo inteiro. Uma das coisas que me fez escolher o jornalismo também é que o jornalismo proporciona para quem trabalha na área, muitas oportunidades de viagens e conhecer lugares novos. Eu pretendo ser correspondente ou trabalhar em revistas”, responde ao ser questionada em que área pretende trabalhar.

Ela também fala de seus sonhos. “Meu maior sonho essa é a pergunta mais difícil, porque eu tenho muitos sonhos”, diz.

“Ainda bem que sonhar é de graça porque senão, minha conta iria estar negativada.” brinca.

“Um dos meus maiores sonhos é conhecer o mundo. No momento, o meu maior sonho é fazer um intercâmbio. E eu tenho muita vontade de ter minha própria empresa”, revela.

Mas não é só de frases e sonhos que Emilly vive. Ela  adora esportes. E faz parte dos Sharks, o grupo de líderes de torcida de comunicação do Mackenzie. “Eu amo fazer parte dos sharks, muito! O que eu mais gosto lá são as pessoas, todo mundo é muito alto astral, a gente sempre acaba rindo, fazendo piada e é muito legal treinar. Antes de entrar eu não conhecia muito, essa vida  ai quando eu entrei vi que é maravilhosa. Aprendemos muito. A gente aprende a ser mais forte, mais resistente, ter mais perseverança. “, diz. Ela revela que entrou para os Sharks porque não gosta de ficar sem se exercitar e já fez outros esportes, como Ballet, dança e Muay Thai.

Por último ela dá uma dica para os novos alunos que vão entrar este semestre no Mackenzie: “Se eu pudesse dar uma dica para as pessoas que estão entrando agora no Mackenzie? Eu diria respira e relaxa. Para elas ficarem calmas porque é um lugar maravilhoso. Os professores são maravilhosos, as pessoas que eu conheci na faculdade também. Eu sou muito grata por ter conhecido todo mundo. Eu amo o ambiente, as aulas, é um lugar muito bom”, diz.