Aprender pode ser divertido!

Tem dias que são normais. Simples assim! Não abalam diretamente o curso das nossas vidas e nem são dignos de serem lembrados em um futuro próximo. Há algumas segundas-feiras, vivi o oposto desses dias, entretanto, nada de muito glorioso me aconteceu, nada que excedesse grandiosamente o ordinário. O que me ocorreu foi uma aula. Uma aula que não impactou somente a mim, mas também a todos (ou quase todos) meus colegas de sala.

Quem frequenta o prédio RW do Mackenzie, já deve ter cruzado com a simpaticíssima professora Valéria Martins. Mas mais felizes que os que a encontram pelos elevadores do prédio, são os privilegiados que assistem às aulas dela. Eu sou um desses privilegiados.  Há algumas semanas na aula de Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Literatura, a professora propôs à sala que cada um fizesse um jogo para facilitar e tornar mais divertida a aprendizagem da gramática.

O aluno do 5º semestre do curso de Letras, Gabriel Telles – que deseja ser professor, criou um jogo chamado “Chegue à casa”. Este jogo tem o objetivo de ensinar de forma lúdica as regras sobre o uso da crase. Durantes as aulas de segunda-feira, Gabriel teve que pensar na ideia do jogo, confeccionar as perguntas do jogo e montar um tabuleiro. Questionado sobre a eficácia do jogo, Gabriel disse: “Por ser didático, divertido e abordar um assunto que os alunos normalmente não gostam, certamente usarei nas aulas de gramática.”

Durante as aulas, foram criados quinze jogos pelos próprios alunos do curso. Atualmente a professora ministra a oficina de Práticas Educominicativas para Língua Portuguesa, que também tem o objetivo de criar jogos para que os conteúdos sejam transmitidos de maneira mais divertida.

A ideia de criar jogos para seus alunos surgiu quando a Professora Valéria, ainda como professora do Ensino Básico, viu que seus alunos adoravam videogames portáteis e quase todos possuíam um e o levavam para a escola. Diante deste cenário, a educadora decidiu criar “algo que motivasse e fizesse o sangue correr de uma forma diferente”.

Segundo Valéria, um dos maiores desafios atuais é a transposição didática, ou seja, possibilitar que o conteúdo chegue adequadamente ao aluno. Os jogos criados são facilitadores da descoberta do conhecimento.

 

Iaí, já está atualizado sobre o novo acordo ortográfico? Clique aqui e confira essas dicas!

Matheus de Siqueira Nunes

Um apaixonado por futebol, que assiste basquete semanalmente, joga truco ocasionalmente e tenta viver poeticamente…