amor

Amor além das cozinhas

 “Ele estava no segundo [semestre], e eu no primeiro. Ele nem olhava na minha cara e eu dava uma paquerada nele. Aí, ele foi percebendo que a gente ficava se olhando entre as aulas na cozinha, até que eu chamei ele no Whatsapp e falei: ‘Vamos fazer alguma coisa?’” relata Maria Gabriela Bailoni, estudante do terceiro semestre de Gastronomia, sobre sua relação com seu namorado Luis Ferrara, que está no quarto semestre do mesmo curso.

Gabriela e Luis namoram há 1 ano e 2 meses e, desde então, levam a paixão pela comida para além das cozinhas do Mackenzie. “Uma coisa que a gente gosta muito de fazer é sair para comer hambúrguer.” conta Luis. “Todo aniversário de namoro, a gente vai em uma hamburgueria diferente. É um ritual que ele fez comigo.” complementa Gabriela.

Ainda que tenham interesse em áreas diferentes da Gastronomia, sonham em abrir um restaurante juntos. “Restaurante vai ser top, mas eu não vou chegar perto da cozinha, vou ficar na parte administrativa. Eu não gosto dessa parte quente. Eu prefiro confeitaria, acho mais tranquilo.” diz Gabriela.

Segundo o casal, foi Luis quem mostrou a sua namorada a pesada rotina dos restaurantes “Ela entrou porque ela achava que ela gostava e como eu já trabalho faz tempo, eu mostrei para ela como é o dia a dia. Você não tem vida mesmo, é pior que Jornalismo. Dependendo do restaurante você começa sexta- feira às 8h da manhã, para às 16h, volta às 19h e sai às 23h. De sábado, o dia inteiro. Domingo de manhã, faz a faxina e só sai 20h” comenta.

Além da parte culinária, eles gostam de motocicletas, viajar juntos e ir ao estádio de futebol assistir aos jogos do Palmeiras, time de coração de Luis. “Vou arrastada, mas vou!” brinca Gabriela, sobre ir ao Allianz Park, ao que ele responde: “Mas ela gostou, comemorou para caramba!”

Para ambos, o que os diferencia de outros casais é a intimidade e honestidade que têm um com o outro. Por morarem juntos, tais características se fortaleceram ao longo do tempo. Mas, um acontecimento no início da relação também contribuiu para isso. Nas palavras de Luis: “Eu conhecia ela e tinha outras meninas também. Essa é a história. Aí, uma vez eu levei ela para um sítio com uns amigos meus e ela descobriu das outras garotas. Então, eu larguei todo mundo e fiquei com ela só.”

Apesar do ocorrido, são nas conquistas, como a vontade de ter um espaço para dois, e nas recordações felizes, como a viagem feita para Indaiatuba, local para o qual vão se mudar no próximo ano, que o casal se apega. Além disso, a sintonia entre ambos é visível até para quem não os conhece. Como disse Luis: “A gente se dá super bem, sabe? Nunca aconteceu isso comigo, nem com ela. A gente está conversando, ai eu falo a mesma coisa que ela fala, ao mesmo tempo. Muito louco isso.”