Amor Agridoce II

Amor Agridoce II

Foi num piscar de olhos que eu te vi
Em meu vazio interior, você transbordou
Conheci aquela tal sensação de borboletas no estômago
Será que foi a agitação do barco? Ou esse seu sorriso que me desnorteou?
Sentimento estranho, difícil de descrever
Não sei se era bom ou ruim, se trazia paz ou dor
Deveria agradecer ou me abster?
Talvez tudo isso seja amor

Mas sem você eu nada sentiria
Meu menino dos olhos serenos
Ah… Quanta sintonia!
Está pronto pra jantar, moreno?

Conversa vai, conversa vem
Como o balanço do mar,
O balanço do amar
Meu coração acelerou, a cem, a mil, além

Mas algo de amargo havia no olhar
Como seus olhos de mel poderiam ter tanta amargura?
Era o medo de se entregar
Fica tranquilo, eu te dou cobertura

O contraste das nossas almas
É de se admirar
Em um só lugar, o caos e a calma
É inegável que nós formamos um belo par

Deixa eu te mostrar que assim como a cor dos teus olhos
Eu também posso ser doce
E te aceitar com esse teu jeito amargo
A nossa mistura dos nossos sabores faz o nosso amor agridoce
Texto de Julia Cadete, aluna de Publicidade e Propaganda, 4º semestre