O Amor Agridoce I

O Amor Agridoce I

Entretanto, entre tantos, ela chegou
Cheia de humor, cheia de malícia
Com suas manias e desventuras
Toda desastrada

Era impossível não me apaixonar
Ela era daquelas morenas espertas
Que vem como quem nada quer
E vai embora com uma parte do meu coração

Toda vez que ela passava
Chamava atenção da praça
Cada vez que ela sorria
Me enchia de alegria

Outra hora ela sofria
Isso sim que me doía
Era sempre dividida
Mais indecisa do que devia

Menina bipolar, o que é que te trouxe pro jantar?
Amarga de coração doce
Não sabia se chorava ou se contava piada
Me encantei pela sua acidez

Por favor, fica só mais um pouco,
Tira essa cara de marrenta
Deixa eu te fazer um poema
Pouco a pouco eu fico louco

Não me mata assim pequena
O seu beijo me alimenta
E assim que você se fosse
Eu também me afogaria nesse amor agridoce

Texto de Julia Cadete, aluna de Publicidade e Propaganda, 4º semestre