A mínimos detalhes

A mínimos detalhes

Talvez não tenha sido apenas a sua beleza, a qual era imensa, que tivesse me atraído. Mas sim alguns mínimos detalhes, esses sim chamaram e prenderam minha atenção. Para alguns poderiam ser considerados como bobos, detalhes como seu jeito de abraçar as pessoas com o olhar, o qual poderia ser seu melhor jeito de abraçar alguém. Poderia ser as “semelhanças”, que as avessas, eram algumas e que por teimosia nunca lhe contaria. Talvez a sua bondade estampada em sorriso tenha sido o principal. Desde o primeiro dia que a encontrei, seu sorriso ficou gravado em memória. Não achava que fosse revê-lo, e admito que quando a reencontrei só a reconheci por conta daquele sorriso. E se algum dia me perguntarem, ainda o saberei descreve-lo.

Eu não tinha uma resposta realmente formulada. Só sabia que eram tão poucos detalhes, que estes a completavam, deixando-a de toda uma mulher tão bela. E que faziam,  de todo,  uma enorme diferença.

Texto de João Victor Martinez, aluno de Publicidade e Propaganda, 4° semestre