A importância das ONGs no combate à exploração de menores

Por Bianca Machado e Gabriel Modesto

O Brasil é apontado como um dos países com mais casos de exploração de menores de dezoito anos e as ONGs estão sendo essenciais para o combate. Neste cenário, está a Life Impact, que surgiu internacionalmente, em 2001, com a ideia central no combate ao tráfico de crianças e adolescentes. Em agosto de 2019, chegou ao Brasil para analisar o cenário nacional e implementar projetos sociais, por meio de missões e ajuda humanitária.

Uma das integrantes dessa iniciativa é Larissa Rocha, atual diretora-executiva da ONG no Brasil, que esteve presente, desde o início, viajando o país inteiro para identificar todos os problemas e conhecer diversas organizações que combatem a exploração sexual de menores. “O primeiro passo para realizar isso foi efetuar um reconhecimento de campo, assim conseguindo mapear e entender qual é foco do problema”, declara Larissa.

Larissa Rocha em um projeto realizado no Cambodja (Foto: Instagram)

De acordo com análises feitas pela Life Impact, o Brasil está em primeiro lugar no ranking de exploração sexual infantil, ultrapassando países como Tailândia e Índia. Os dados da ONG apontam que no norte do país meninas chegam a vender seus corpos por cinco a dez reais, com a finalidade de usar esse dinheiro para comprar alimentos e produtos básicos para subsistência, devido à pobreza extrema. Larissa, que também estuda Direito e pesquisa na área de tráfico de pessoas, afirma que “na grande maioria dos casos isso está atrelado a uma questão de vulnerabilidade social e econômica, dessa forma isso desconstrói aquele argumento de que a criança é abusada porque quer ou de que ela sabe o que está fazendo”.

A Life Impact acredita que existem três pilares fundamentais para o combate desse problema estrutural, sendo eles: a prevenção, a cura e o resgate. A prevenção consiste em projetos sociais que garantem que essas crianças e famílias se distanciam de situações de precariedade. O resgate equivale a removê-las dos lugares que foram exploradas e encontrar um lar adequado para dar o apoio necessário a elas.  Diferente das outras ONGs, que trabalham apenas com os outros dois pilares, a Life Impact, por ter sua origem cristã, acredita ser necessária uma cura espiritual, a fim de que esses menores possam se recuperar da melhor maneira possível.

Atualmente, a ONG está em sua primeira fase nas cidades do Rio Janeiro (RJ) e Juazeiro do Norte (CE), com projetos sociais que incluem reforços escolares, aulas de música e arte, entre outros. Apesar de ser um projeto recente, já possui bastante visibilidade contando com diversos “embaixadores”, tais como: o chef Henrique Fogaça, a atriz Bianca Rinaldi, o surfista profissional Carlos Burle e a cantora Priscilla Alcantara.

Larissa Rocha em um projeto feito em São Gonçalo / Complexo do Salgueiro. (Foto: Instagram)

Se você se identificou com esse projeto, a ONG permite que você faça sua doação pelo site, tendo como opção escolher o país para o qual você deseja enviar sua contribuição. IMPORTANTE!!!!! Caso você tenha presenciado, conhecido ou sofrido algum tipo de abuso ou exploração sexual, DISQUE 100.