Dias antes de iniciar seu quarto mandato, Putin gera polêmica

Nova onda de protestos contra Vladimir Putin gera polêmica na Rússia

Por: Fábio Ribeiro Barreto

Dois dias antes da posse de Vladimir Putin para o seu quarto mandato presidencial, uma nova onda de protestos tomou algumas cidades da Rússia. Seu principal opositor, Alexei Navalny, foi detido novamente, juntamente com mais de mil protestantes. Segundo as autoridades, o motivo é que o protesto não havia sido autorizado.

Navalny não pôde concorrer à presidência devido a uma condenação judicial e chegou até a ser preso durante um protesto que ele mesmo havia organizado. A história se repete. Ontem, foi detido novamente, desta vez, sob o lema “Não é nosso czar”, tema de seu protesto.

Junto com o opositor, estima-se a prisão de ao menos 1.029 partidários, espalhados principalmente por Moscou, São Petersburgo e Chelyabinsk, nos Urais.

De acordo com os manifestantes, a polícia utilizou gás lacrimogênio e de força bruta para dispersá-los. Uma pessoa chegou a ser hospitalizada devido às lesões sofridas.

A multidão gritava principalmente: “Fora Putin” e “Putin Ladrão”. Nesta segunda, iniciará seu quarto mandato. Como presidente russo, já são 18 anos no poder.

No fim da noite deste sábado, Navalny acabou sendo solto, sem passar por julgamento.

O estudante de jornalismo do Mackenzie, Matheus Paes, considera “normal que se tenha protestos, principalmente por ele governar a Rússia desde 2000”. Analogamente, ainda ressalta que a grande maioria dos presos é da oposição.

Para concluir, o estudante julga que apesar de parecer “meio ignorante”, Putin está tentando expandir a área de influência da Rússia ao seu redor. O principal motivo é que alguns países, durante a guerra fria, apoiavam os EUA.

Confira o texto de janeiro que fala sobre a prisão de Navalny: http://redacao.mackenzie.br/14745-2/