Imagens do Aleijadinho em exposição no MASP

Ilustração de Aleijadinho

No dia 10 de março, Imagens do Aleijadinho deu as caras como uma das exposições que abrem o programa do MASP em 2018. Essa é a primeira exposição monográfica no Museu dedicada à obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814). 2018 é um ano dedicado a histórias afro-atlânticas com trocas culturais entre a África com outros continentes.

Quem foi?

Aleijadinho, filho de um artífice português e de sua escrava, alforriado pelo pai, foi um artista de peso simultaneamente ao ciclo do ouro em Minas Gerais. É autor de uma série de obras realizadas em igrejas mineiras a pedido de ordens terceiras e que formam um dos principais conjuntos de arte religiosa executados no Brasil, incluindo a igreja de São Francisco de Assis em Ouro Preto e os Passos da Paixão de Cristo e os Profetas em Congonhas. A obra de Aleijadinho foi influenciada pela arte barroca e rococó europeia, tendo também referências da visualidade africana e popular.

 

Como funciona?

Primeiramente, a exposição reúne 37 esculturas devocionais cuja autoria foi atribuída ao Aleijadinho ou a sua oficina por diferentes especialistas. Essas obras pertencem a acervos de museus, igrejas e coleções particulares. Elas foram produzidas num momento histórico marcado pela rápida urbanização na região de mineração, o que levou à diversificação das atividades culturais. A população negra e mestiça era massiva, sendo aproximadamente 80% da população local. Nesta época, muitos dos artífices em atividade eram negros ou mestiços, e assistiu-se a uma ampla circulação de objetos de origem africana.

Na exposição, além das esculturas do Aleijadinho, há um conjunto de obras de outros autores que fazem referência a ele. Gravuras de viajantes estrangeiros, imagens de fotógrafos e trabalhos de artistas que foram influenciados por sua arte também aparecem. Isso e muito mais são apenas alguns exemplos do possível de ser encontrado na exposição.

A exposição e o catálogo têm organização de Rodrigo Moura, curador-adjunto de arte brasileira do MASP.

 

Como chegar?

O MASP fica na AV Paulista, 1578. É fácil de chegar, sendo apenas 20 minutos (ou menos) do Mackenzie.

Clique aqui para visitar o post original, pelo MASP.

Eduarda Ramos

Geminiana até demais pros padrões do signo, fã encubada de indie pop e entusiasta de memes. Diz que não beberá das águas, mas quando vê já está afogada nelas.