14 países diferentes em um lugar só

O conceituado SP-Arte traz no próximo mês o  Festival Internacional de Arte, que é um evento cultural que reúne todos os anos galerias de artes e design de todo o mundo. O evento que ocorrerá entre os dias 11 e 15 de Abril, no Pavilhão da Bienal do Parque Ibirapuera está em sua 14º edição, contará com grandes exposições e pela segunda vez terá visitas guiadas.

Considerado um dos eventos culturais mais importantes da América Latina, o evento ganhou grande notoriedade em 2017 e se consagrou pela grande demanda de visitantes, embora seja pouco conhecido popularmente. Com a crise do mercado nacional, a gestão do evento procura se manter sólida para poder atrair galeristas de diversos lugares. Dentre as galerias expositoras estarão: David Zwirner e Marian Goodman (Nova York), White Cube (Londres), neugerriemschneider (Berlim) e kurimanzutto (Cidade do México), Roslyn Oxley9 (Sydney), Fragment (Moscou) e Cayón (Madri). Nesse ano, o evento terá presença inédita de expositores da Rússia e da Austrália.

Segundo a aluna do 4° semestre de Jornalismo da Universidade Mackenzie e amante de arte e cultura, Luana Dorigon, 19, ressalta a importância de um evento dessa escala em nosso país.

“A importância se dá por ser um evento riquíssimo das mais diversas culturas e olhares. A SP-Arte é um dos principais e mais importantes eventos de artes do mundo e acontece pertinho de nós”, comenta.

Com foco também em artistas individuais, esse ano o evento será plural e contará as trajetórias de grandes e pequenos artistas internacionais. A artista chilena, Lotty Rosenfeld conhecida por ser ativista política e feminista é notória entre eles. Um novato nas artes, Henrique Pavão, vem direto de Portugal para expor suas obras contempladoras do espaço e do tempo. Henrique que ganhou o prêmio Novo Banco Revelação – 2016 de uma exposição na Appleton Square, em Lisboa, busca trazer uma nova perspectiva para São Paulo.

O festival ainda contará com um setor de performances, curado por Paula Garcia. Essas performances serão selecionadas e feitos extensivamente durante os 3 dias de festival. Dentre as performances, existirão cinco artistas nacionais e um internacional. Já no setor de design, os trabalhos independentes ganham seu espaço e pretendem motivar novos projetos de design no mundo.

Um festival tão consagrado está sendo sediado em nosso país. Através desse privilégio, podemos alcançar e aproveitar a disponibilidade para aprofundar conhecimentos e explorar diferentes áreas. “É a garantia de mais um espaço aberto para falarmos e pensarmos em cultura, na arte contemporânea e no fazer artístico. Para quem gosta e pode, é incrível, mas ainda é algo muito restrito a uma classe social específica”, afirma Luana.

 

 

Gostou de saber mais sobre esse evento tão plural? Confira aqui mais sobre arte com as exposições da Chácara Lane.