Medina é campeão na França!

O brasileiro Gabriel Medina se consagrou campeão da nona etapa do circuito mundial de surfe, em Hossegor, na França, após vencer Sebastian Zietz na grande final; e mantém vivo o sonho do bicampeonato mundial.

Com notas 8.17 e 7.83, Medina superou a somatória de 9.30 pontos do havaiano e levou o troféu de campeão para casa pela terceira vez. Essa foi a quinta final nos últimos sete anos do brasileiro, o que mostra sua ótima conexão com as ondas francesas. Ele havia vencido nas edições de 2011 e 2015.
Por conta de seu excelente histórico na França, Medina é sempre apontado como favorito, e dessa vez não foi diferente. Ele pode não ter feito as melhores notas e as melhores somatórias do evento, mas se mostrou muito regular durante sua trajetória. Atingiu a final de forma invicta, sem perder sequer uma bateria. Sua estratégia de não esperar a onda da série, tecnicamente melhor, e pegar qualquer uma em que fosse possível fabricar uma nota boa funcionou muito bem.
Com a vitória, Gabriel Medina subiu cinco posições e assumiu a terceira colocação no ranking, com 40.750 pontos. John John Florence, seu adversário em uma emocionante bateria na semifinal decidida por 0.40 pontos, ultrapassou o sul-africano Jordy Smith, que caiu no round 3, e agora é o líder com 49.900 pontos.
Assim, o título mundial que já esteve tão longe esse ano, está cada vez mais perto. A próxima etapa acontece em Portugal, do dia 20 a 31 de outubro, e você confere tudo sobre a reta final do circuito mundial de surfe aqui, no blog da Redação Virtual Mackenzie.
Para Gabriel Sabatini, estudante do curso de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a briga pelo título mundial está mais aberta do que nunca. “Tudo depende do resultado dos surfistas em Portugal. Sete competidores ainda podem sonhar, na minha opinião, mas para isso, chegar às quartas de final é o mínimo para que esse sonho possa se tornar realidade”, disse.
Texto por Gustavo Iglezias.
Paulistana, apaixonada por futebol e pelo Palmeiras desde pequena. Amante de Beatles e há 20 anos sendo a pessoa mais chorona do mundo.