10 Dicas Para Escrever uma Fanfic

 

Qualquer pessoa já passou pela experiência de ficar viciada em uma série, banda, jogo ou livro. Alguns fãs demonstram sua paixão participando de debates em fóruns, fazendo montagens ou editando vídeos. Além disso, a experiência de se apaixonar por um universo alternativo pode inspirar um fã a escrever histórias com suas próprias ideias dentro desse universo ou com aqueles personagens. São as chamadas fanfictions – histórias de fãs para fãs sem fins lucrativos. Se você gosta de uma série e tem ideias boas, veja aqui 10 dicas para escrever uma fanfic e se divertir!

1. Deixe a inspiração chegar: um dos maiores problemas para começar a escrever é encontrar a inspiração. Não adianta nada ficar forçando alguma coisa que não sai. O melhor que você tem a fazer é… simplesmente viver! Inspirações vêm de acontecimentos, filmes, músicas, lugares… de qualquer coisa que você possa imaginar e relacionar. Exemplo: as controversas songfics, fanfics baseadas em músicas.

2. Anote a inspiração quando ela vier: não adianta nada você ter aquela ideia maravilhosa, anotar na cabeça e esquecer na correria do dia a dia. Sempre que possível, anote suas ideias, mesmo que você não pretenda utilizá-la. Eu, por exemplo, deixo todas as minhas ideias gravadas em um arquivo para retomá-las quando for a hora 😉

3. Desenvolva sua ideia: você finalmente encontrou tempo pra escrever. Então, é hora de começar a desenvolver a sua ideia. Essa parte não significa escrever a história, mas sim encontrar um encaminhamento. Depois que você direcionar sua história claramente, você já consegue definir quantos capítulos você pretende escrever.

4. Faça um roteiro: essa é a parte chata, eu sei. Se sua história tiver apenas um capítulo, talvez o roteiro não seja necessário, mas ele é essencial para histórias médias e longas. A função do roteiro é direcionar o que você deve escrever em cada capítulo e, acredite em mim, ter esse tipo de planejamento ajuda muito quando você está na correria. Já vi fics maravilhosas desgringolarem porque não tiveram roteiro.

5. Comece a escrever: você já tem um direcionamento e já sabe o que vai escrever em cada capítulo. Agora, mãos na massa, comece a colocar sua história no papel (ou no Word). Quando você está escrevendo, não se prenda a detalhes como erros gramaticais ou se aquela parte da história vai existir mesmo ou não. Apenas escreva, como se estivesse fazendo um brainstorm mesmo.

6. Tenha um dicionário: ninguém nasce com um vocabulário digno de poetas parnasianos. Sendo assim, é essencial escrever com um dicionário do lado, principalmente se você estiver escrevendo em outras línguas. Minhas recomendações são o Priberam para o português e o Free Dictionary para a língua inglesa.

7. Let it flow: algumas histórias tem gramática excepcional, mas não são atraentes ao público; outras tem gramática razoável, mas as palavras saltam aos olhos quando você lê. O que difere uma da outra? É a fluidez do texto, ou seja, como cada palavra conta a sua história. Passam pela fluidez a escolha de palavras (ele declamou ao invés de ele disse, por exemplo) e a pontuação. Por isso, cuidado com as vírgulas 😉

8. Hora de revisar: terminado seu capítulo, é hora de ler o que você escreveu e corrigir quaisquer errinhos que você tenha cometido na hora da escrita. Não se sinta mal por isso. John Hershey, autor do livro Hiroshima, por exemplo, editou e revisou seu trabalho mais de 40 vezes (uma ou duas revisões bastam pra sua fanfic 😉 ). Para os que escrevem em inglês, o Grammarly é uma boa pedida. Alguns sites também disponibilizam o serviço de beta-readers, que são pessoas que faram uma primeira leitura da sua fic para te ajudar nessa parte.

9. 1, 2, 3… Publique!: finalmente chegou a hora que você mais esperou – a hora de publicar a sua fic. Você pode publicar em um blog, tumblr ou em algum site especializado, como o Wattpad (internacional) e o Nyah Fanfiction (nacional). Não se esqueça de ler os termos de compromisso dos sites antes 😉

10. E o mais importante… divirta-se!: Afinal, de nada vale você ter esse trabalho todo se você não se divertir com as suas histórias 🙂

 

Foto: Tiffany Nevin